• Login

Sono e qualidade de vida

Comparado aos outros impulsos básicos da vida – como beber, comer e se reproduzir-, o sono costuma ser subestimado e sacrificado no dia a dia. Na tentativa de cumprir prazos cada vez mais curtos e atender um volume de demandas que só faz crescer, temos dormido cada vez menos.

O sono é responsável por auxiliar o bom funcionamento dos principais sistemas do nosso corpo, tais como, o cardiovascular, o metabólico, o imune e o reprodutivo.

Pacientes com câncer experimentam diversos sintomas que podem estar relacionados tanto com a doença quanto ao  tratamento. Náusea e vômito, fadiga, distúrbios do sono e depressão, são as principais alterações observadas ao longo do tratamento oncológico. De acordo com os estudos realizados, observa-se que os distúrbios do sono, bem como dificuldade em adormecer, despertar frequentemente à noite, acordar muito cedo pela manhã, ou dormir excessivamente no período diurno são um problema comum e, muitas vezes, crônico para pacientes e sobreviventes do câncer.

O sono também regula o apetite

O próprio diagnóstico de câncer, o tipo e estágio da doença, dor, efeitos colaterais da quimioterapia e da radiação, resposta imunológica ao crescimento neoplásico e sintomas psicológicos como ansiedade e depressão, têm sido constatados como causadores dos distúrbios do sono em pacientes oncológicos.

É importante destacar que dormir bem implica em reparar a nossa saúde psicológica, calibrar nossos circuitos cerebrais emocionais, permitindo-nos enfrentar os desafios sociais e psicológicos do dia seguinte com sereno autocontrole. O sono também regula o apetite, ajudando a controlar o peso corporal ao substituir uma alimentação repulsiva pela seleção de alimentos saudáveis.

Algumas orientações para um sono saudável valem a pena serem destacados:

• Mantenha um horário de sono. Deitar e acordar na mesma hora todos os dias contribuem para um bom padrão de sono.
• Praticar exercícios físicos é excelente, mas não faça muito tarde no dia ou duas a três horas antes de se deitar.
• Evite a cafeína e bebidas que contenham estimulantes cerebrais. Seus efeitos podem levar até oito horas para serem eliminados do corpo por completo.
• Evite consumir muita comida ou líquido tarde da noite. Uma refeição pesada pode causar indigestão, o que interfere no sono. Já o excesso de líquidos à noite pode causar despertares frequentes para ir ao banheiro.
• Relaxe antes de ir se deitar. Escute música, leia algo e tome um banho quente antes de ir se deitar. A queda na temperatura do corpo após sair do chuveiro pode ajudá-lo a se sentir sonolento
e relaxado, ficando assim mais propenso a dormir.
• Mantenha o quarto fresco e livres de aparelhos eletrônicos. Evite qualquer coisa no cômodo que possa distraí-lo do sono, como ruídos, luzes intensas, cama desconfortável ou temperatura elevada.
• Procure ter uma exposição correta à luz solar. A luz do dia é essencial para regular o padrão de sono diário.
• Não fique deitado na cama acordado. Se você ainda estiver desperto após permanecer na cama por mais de vinte minutos ou se estiver começando a se sentir ansioso ou preocupado, levante-se, faça algo relaxante até se sentir sonolento. A ansiedade de não conseguir dormir pode dificultar ainda mais o sono.

Se você tem dificuldade para dormir, converse com o seu médico para verificar possíveis causas físicas e/ou emocionais.

Livia Pinheiro Ramos
CRP/ES 16/3813
Psicóloga Clínica do Neon
Pós-graduação em Psicologia Hospitalar e da Saúde pelo Centro de Estudo e Pesquisa em Psicologia e Saúde – CEPPS