• Login

Cirurgia plástica e o câncer: a importância da especialidade na adjuvância e tratamento das neoplasias

A Cirurgia Plástica é uma das especialidades médicas mais antigas de que se tem notícia. No mundo atual onde a imagem e a cobrança social pela beleza ganham cada vez mais importância, este procedimento tem sido associado à beleza e glamour, no entanto a cirurgia plástica possui estreita relação com as especialidades oncológicas, atuando principalmente na reconstrução e refinamento estético de unidades anatômicas após cirurgias para o tratamento do câncer.

A atuação da especialidade no tratamento das neoplasias cutâneas é essencial, pois muitas vezes a sequela causada pela retirada das lesões é grande, e a presença de um especialista é fundamental para a reconstrução, evitando estigmas físicos e tornando mais fácil a retomada
das atividades cotidianas e aceitação social do paciente após o tratamento.

Um grande exemplo da atuação do cirurgião plástico na adjuvância do tratamento oncológico, é o trabalho conjunto que se faz com a equipe de mastologia para o tratamento do câncer de mama.

O cirurgião plástico pode atuar previamente ou no mesmo tempo cirúrgico, juntamente com a mastologia, cirurgia de cabeça e pescoço, cirurgia oncológica e cirurgia do aparelho digestivo, sempre auxiliando no fechamentos das deformidades, na reconstrução da anatomia local e refinamentos estéticos da região; ou tardiamente ao tratamento das neoplasias, melhorando a qualidade estética causada pela retirada do câncer.

Um grande exemplo da atuação do cirurgião plástico na adjuvância do tratamento oncológico, é o trabalho conjunto que se faz com a equipe de mastologia nos casos de câncer de mama. É possível reconstruir a região mamária utilizando retalhos locais, expansores teciduais, próteses de silicone, enxertos de gordura, entre outras técnicas atingindo uma forma mais harmônica, e até mesmo reconstruir as aréolas e os mamilos. Isso diminui o trauma psicológico e a lesão estética causada pelo tratamento do câncer. Muitas vezes são necessárias várias etapas para a reconstrução das mamas pós neoplasia.

Outro exemplo importante é o tratamento dos vários tipos de câncer de pele que em um estágio mais avançado, ou em um local muito exposto, como a face, a retirada da lesão causa uma deformidade anatômica grande, e a atuação de um cirurgião plástico é essencial para recompor a anatomia da região, sem causar estigmas.

Também é frequente após o tratamento oncológico, o desenvolvimento de feridas complexas. A presença de um profissional especializado para auxiliar nos curativos e cuidados da ferida é essencial. Atualmente existem curativos altamente tecnológicos, que são importantes para auxiliar o profissional no manejo das lesões. Curativos altamente absortivos e com substâncias capazes de impedir o crescimento bacterianos, possibilitam um conforto maior ao paciente, sem a necessidade de trocas diárias.


Dr. Leonardo Merçon Vieira Cardoso
Membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
Staff do Serviço de Cirurgia Plástica Reparadora do Hospital Universitário – UFES.
Staff do Serviço de Cirurgia Plástica Reparadora e Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Infantil de Vitória.
Cirurgião Plástico da equipe de especialistas do NEON.